INVOLUÇÃO UTERINA POP – Procedimentos Operacionais Padrão enfermagem

POP INVOLUÇÃO UTERINA

1. DEFINIÇÃO

Verificar a capacidade de regressão útero durante o puérperio.

2. OBJETIVO

Verificar se a involução uterina (altura do fundo uterino) dentro dos parâmetros adequados.
Tonicidade de útero.

3. APLICAÇÃO

Unidade de Clínica Obstétrica

4. RESPONSÁVEIS

Enfermeiro
Técnico de enfermagem

5. FREQUENCIA

A altura uterina deve ser avaliada pelo menos duas vezes ao dia ou mais se houver historia de hemorragia, mudança de posição de útero, fluxo intenso de lóquios ou presença de coágulos.

6. MATERIAS NECESSÁRIOS

Lençol
Biombo

7. DESCRIÇÃO DO PROCEDIMENTO

*Na involução uterina, a altura diminui 1cm (1 dedo) por dia no parto normal e 0,5cm nas cesarianas.
1-2horas a altura do fundo uterino deve estar na linha média entre a cicatriz umbilical e a sínfise pubiana.
12horas – deve estar na altura da cicatriz umbilical ou 1 cm acima.
3 dias – aproximadamente 3 cm abaixo da cicatriz umbilical.
10 dias – fundo de útero não palpável acima da sínfise pubiana.
AGENTE
DESCRIÇÃO
Enfermeiro
Lavar as mãos;
Pedir para puépera urinar para que não haja elevação ou desvio da linha média;
Colocar a paciente em decúbito dorsal;
Proteger a paciente com o lençol;
Determinar a relação do fundo uterino com a cicatriz umbilical, uma mão é colocada suavemente no segmento inferior do útero para dar apoio, e os dedos da outra mão são colocados na parte superior (fundo) do útero;
Registrar na evolução a altura por meio dos dedos ou de uma fita métrica, anotando dois dedos ou dois centímetros abaixo da cicatriz umbilical.

8. ITENS DE CONTROLE

Atonia uterina
Sangramento vaginal
Histerectomia
Placenta acreta

9. AÇOES CORRETIVAS

Realizar massagem vigorosa (como se estivesse amassando pão), estimulando a contração uterina e utilizar ocitócitos conforme prescrição médica, solicitar avaliação médica imediata, se a contração uterina for ineficaz e o sangramento não cessar, é necessário a retirada do útero, verificar sinais de choque.
A placenta acreta é uma complicação rara e perigosa, é devido à aderência anormal, parcial ou total da placenta à parede uterina, a placenta totalmente acreta não se separa, e não haverá nenhum sangramento a não ser que haja tentativas manuais para retirar a placenta, que rompem a parede uterina, nesses casos ocorre hemorragia e a histerectomia deve ser realizada imediatamente.

10. ANEXO

Não se aplica.

11. REFERÊNCIAS

FIGUEIREDO, N. M. A. et AL. Práticas de enfermagem. 1ed. São Caetano do Sul: Yendis, 2005.
ZIEGEL,E.E.,CRANLEY,M.S. Enfermagem obstétrica. 8 ed.Guanabara,1985.
Gostou? Faça um comentário!